Browsing Category

Automóveis Preparados e Clássicos

surpreendase-com-4-versoes-raras-de-carros.jpeg

Surpreenda-se com 4 versões raras de carros

O Brasil sempre foi um território confortável para a comunidade automotiva. Apesar de contar com menor variedade do que a disponível em mercados como o europeu e norte-americano, as montadoras sempre delegaram uma atenção especial à nossa população, elaborando versões raras de carros nacionalmente consagrados.

Com isso em mente, preparamos este post elencando as principais versões especiais que já encantaram o consumidor brasileiro. Está ansioso para esse reencontro repleto de nostalgia? Então acomode-se e volte no tempo com esta leitura!

As 4 versões raras de carros no mercado nacional

Apesar de restringirmos esta lista a quatro versões, vale lembrar que o mercado brasileiro contou com uma grande variedade de veículos projetados ao nosso público, ainda mais quando consideramos os modelos Gurgel e Puma.

Ainda assim, fazemos aqui uma menção honrosa a Chevrolets, como o Chevette País Tropical e Diplomata Collector, e também aos Volkswagens Gol GTi e Passat TS. Homenagens feitas, podemos seguir com a nossa seleção de raridades. Acompanhe!

1. Chevrolet Corsa GSi

Nada menos do que a versão apimentada do hatch compacto da montadora estadunidense. Para 1995, o pequeno tinha destaques bem diferenciados, combinando a leveza de apenas 945 kg com um motor 1.6, que desempenhava 108 cv de potência e 14,8 kgfm de torque. Manteve a soberania do segmento até a chegada de seu carrasco, o Gol GTi.

Os diferenciais do Corsa GSi estavam em sua mecânica e aparência. O compacto era importado da Hungria com uma motorização muito mais vigorosa do que as tradicionais, além de contar com detalhes estéticos esportivos, como o teto solar, saias laterais agressivas, para-choques redesenhados e logos que faziam alusão à versão GSi.

2. Chevrolet Opala Envemo

Mesmo nas versões “comportadas”, o Opala já era visto como um devorador de milhas. Durante conversas em coquetéis nos salões automotivos no final da década de 1960, surgiu a brilhante ideia de elevar a esportividade desse clássico nacional. Em suma, essa versão é tão rara que conta com pouquíssimos registros fotográficos, a sua maioria originados pela imprensa especializada da época.

Vale lembrar que esse modelo era, em realidade, uma modificação dos Opalas da época, que eram transformados com o Kit exclusivo da Envemo, que incluíam rodas, bancos, relojoaria de painel e revestimentos internos esportivos. Ainda na estética, o kit agregava novos conjuntos óticos, grades, lanternas e afins.

E o mais importante: sua mecânica! No projeto inicial, o Opala E70 1/2 ganhava alterações pontuais, que contavam com a motorização 3.8 desempenhando 150 cv de potência, escalonados por uma transmissão manual de quatro velocidades ancorada ao assoalho do veículo. Os próximos kits incrementaram a lista com mais detalhes estéticos e ajustes de performance.

3. Ford Escort XR3

Simplesmente o suprassumo da linha Escort. O XR3 foi um veículo tão diferenciado quanto desejado durante sua trajetória no mercado nacional, que iniciou em 1983, encerrando-se em 1996. Sua distinção da concorrência acontecia por dois motivos fundamentais: design e diversão.

Afinal de contas, em 1985 o modelo já era um “Fordinho” esportivo, valente e sobretudo, conversível! A ausência da capota foi o suficiente para fechar o negócio aos indecisos com a versão cupê. Na época, contava com um motor 1.6 de 83 cavalos, que o distanciava das versões normais com motores 1.4 e 64 cavalos. Próximo ao fim de sua produção, foi atualizado em 1993 com um motor 2.0 de 115 cv.

4. Volkswagen SP2

Um clássico esportivo nacional. Reconhecendo o crescente interesse da população por modelos esportivos, a Volkswagen inicia a projeção do SP2 em 1969. Reconhecido por parte da imprensa como um dos Volks mais belos da história, esse esportivo foi desenvolvido utilizando a mecânica da perua Variant. O SP2 foi uma bela demonstração do que a montadora alemã conseguia produzir.

Por fim, ainda vale lembrar das versões raras mais contemporâneas à nossa época, como o belíssimo Chevrolet Omega Fittipaldi de 2008, o Volkswagen Passat CC de mesmo ano e, até mesmo, o simpático Peugeot 206 CC de 2001.

Gostou dessa viagem ao passado detalhando as principais versões raras de carros nacionais? Então não perca a oportunidade de replicar este post entre os seus amigos entusiastas, compartilhando-o nas suas redes sociais!

carro-maverick-fique-por-dentro-de-detalhes-da-historia-desse-automovel.jpeg

Carro maverick: fique por dentro de detalhes da história desse automóvel

Ao longo da história do automobilismo brasileiro, sempre existiram os automóveis “cometas”, tão belos quanto breves. Foi pensando nisso que elaboramos este artigo, esclarecendo a cronologia e passagem do carro Maverick em nosso mercado. Trata-se de um clássico memorável que marcou as gerações de outrora, tanto em solo nacional quanto estrangeiro.

Já raro na época de sua comercialização, atualmente o Maverick protagoniza disputas acirradas em leilões de veículos antigos. Agora, acomode-se e prepare-se para conhecer mais sobre o nostálgico “Maveco”. Acompanhe!

O carro Maverick, a lenda sobre rodas

Desde sua conceitualização, o Ford Maverick tinha um objetivo bastante claro: ser o escudo norte-americano para combater as vendas de veículos europeus e nipônicos. Tratando-se da transição para a década de 1970, a Ford precisava de um símbolo para conter a popularização do Fusca, que ganhou uma infinidade de adeptos ao protagonizar a contracultura hippie que era o pano de fundo à época.

Com esse alvo bem delineado, o Maveco fora criado, portando uma fórmula de sucesso: cupê, compacto, um tanto esportivo, robusto, durável e barato de se reparar. Naquele momento, a Ford atingiu a veia do mercado, apaixonando os consumidores com o “irmão menor” do já consagrado Mustang. Inicialmente, o plano foi bem-sucedido, vendendo mais de 579 mil unidades logo em seu primeiro ano, 1969.

Características e diferenciais

O Maverick sempre foi um carro coerente à sua proposta e, sobretudo, entusiasmante de conduzir. Afinal de contas, a montadora desenvolveu uma equação que só podia resultar em diversão, unindo uma carroceria cupê leve e pequena à tração traseira.

Focando em corte de custos e otimização produtiva, vale lembrar que ela utilizou a plataforma do clássico Falcon na construção do Maveco. Apesar disso, suas características e dimensões contribuíram para que fosse o Ford com a melhor dirigibilidade à época, pensando em seu público-alvo: consumidores de Fuscas.

Quanto à nomenclatura, existem rusgas na história. Algumas vertentes argumentam que a montadora decidiu fazer uma honraria a um antigo fazendeiro norte-americano, Samuel Maverick. Inclusive, o modelo estadunidense contava com um símbolo de caveira e chifres de um touro, ausente no Brasil por conta do apelido negativo que os Fuscas com teto solar ganharam naquela época: Cornowagen. A Ford não poderia arriscar em nosso mercado.

De toda maneira, Maverick enquanto termo pode significar o indivíduo soberano, bravo e corajoso, contextualizando a imagem que desejava passar e o produto que pretendia vender.

O Maverick no Brasil

Agora, sim! Abordamos a chegada do clássico em nossas terras. No entanto, como você, entusiasta, deve saber: o mercado brasileiro possui algumas distorções. Enquanto o Maverick do “Tio Sam” enfrentava modelos Volkswagen e pequenos Toyotas, o Maveco brasileiro precisaria encarar oponentes maiores, justificando o seu preço.

Em 1973 ocorreu o lançamento do Ford Maverick no mercado brasileiro que, embora estivesse encantado com a proposta e desenho do modelo, não se entusiasmou com o contido espaço para os ocupantes da segunda fileira. Como dissemos, distorções de mercado.

Ainda assim, o Maveco vendeu 108 mil unidades durante toda sua passagem pelo Brasil, distribuídas entre suas três versões:

  • Super e Super Luxo, disponíveis com a motorização tradicional V6 de 112 cv e opcionalmente com o V8, com opções de transmissão manual e automática, quatro e três marchas, respectivamente;
  •  GT, motorizado com um V8 de 199 cv com transmissão manual de quatro marchas, escalonadas para levar o Maveco de 0 a 100 km/h em 11 segundos.

O final do Maveco foi coerente com o desfecho da maioria dos projetos estadunidenses: uma explosão no preço do petróleo que, inevitavelmente, fez com que todos os veículos pouco econômicos sucumbissem no mercado. De qualquer forma, aos entusiastas, o Maverick continua sendo aquilo que representava: a soberania em uma embalagem divertida.

Você gostou desse post detalhando a histórica do carro Maverick em nosso mercado? Então aproveite para presentear os seus amigos entusiastas com esse artigo. Para tanto, compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!

quais-os-principais-tipos-de-volante-para-carros-antigos.jpeg

Quais os principais tipos de volante para carros antigos?

Quem tem um carro antigo e quer deixá-lo com a personalização perfeita não pode se esquecer do volante ideal. E para esse tipo de veículo, nada como um modelo com um toque old school para acompanhar todas as características do modelo, não é mesmo?

Além de fazer os motoristas voltarem ao passado, o volante para carros antigos deixa o automóvel bem estiloso e chama a atenção por onde quer que ele passe. Afinal, basta dar uma espiada para ter a certeza de que essa é uma combinação de sucesso.

Quer saber quais são os principais tipos de volante para carros antigos? Confira abaixo os principais modelos que preparamos para você.

Quais são os modelos existentes?

Volante Class

Fazendo referência a volantes clássicos entre as décadas de 60 e 80, como de automóveis da BMW, Porsche e Mercedes-Benz, o Class tem 363 mm de diâmetro e é revestido em couro natural, além de ter um visual neutro e pouca profundidade. Não é à toa que ele pode ser usado em uma grande variedade de modelos.

Esse tipo de volante conta, ainda, com a versão Class Light, que é bem semelhante ao modelo Class, mas sem o aplique central.

Volante Big Block

Se o seu desejo é encontrar um volante para carros famosos da década de 70, o Big Block é a opção ideal. Chamando a atenção pelo tamanho — com 400 mm de diâmetro — esse modelo tem 90 mm de profundidade e é revestido em couro natural, sendo indicado para modelos ao estilo muscle car.

Além de ser encontrado em uma versão preto fosca — o chamado Big Block Black —, o modelo conta com a variação Big Block S, com detalhe central que lembra os volantes clássicos dos anos 60 e 70.

Volante Four

Trabalhado nos detalhes, o Four chama a atenção pelas quatro hastes centrais e é baseado nos muscle cars da década de 70. Ele tem 360 mm de diâmetro, offset de 65 mm e é revestido em couro natural.

Volante Boxer Wood

Não dá para falar em volante para carros antigos sem mencionar o Boxer Wood, não é mesmo? Carregando uma forte tendência da cultura Air Cooled, ou seja, automóveis com motores VW e refrigerados a ar, ele pode ser o modelo dos sonhos se o seu desejo é um acessório grande e cheio de estilo.

O Boxer Wood conta com 400 mm de diâmetro, 78 mm de profundidade, estrutura feita em ano inox e uma belíssima empunhadura em Madeira.

Afinal, qual é o volante certo para seu carro?

Se essa dúvida continua mesmo depois de conhecer os principais volantes para carros antigos, lembre-se que o modelo Class é o mais indicado para modelos da BMW, Porsche e Mercedes-Benz, enquanto o Big Block e o Four são ótimas opções para Opala e Mustang. Já o Boxer Wood pode ser o acessório que seu Fusca estava esperando para chamar atenção nas ruas.

Além disso, não se esqueça de que, para instalar um volante em seu carro, você vai precisar de um cubo adaptador. Cada veículo tem um específico, que determina a compatibilidade entre a peça e o automóvel.

Agora que conferiu os principais tipos de volante para carros antigos, entre em contato com a Lotse e conheça nossos modelos. Todos eles são costurados artesanalmente, revestidos em couro e prontos para valorizar o estilo do seu automóvel. Basta acessar a nossa página!

descubra-o-que-e-e-como-conseguir-uma-placa-preta-para-seu-carro.jpeg

Descubra o que é e como conseguir uma placa preta para seu carro

Assim como veículos diplomáticos têm placa azul e táxis têm placa vermelha, os carros de coleção têm o direito de receber uma placa preta, atestando que ele está em ótimas condições e mantém sua originalidade.

Sonho de todo colecionador de automóveis, a placa preta é chamada de Placa de Veículos de Coleção e foi criada em 1998, mas não é tão fácil de ser solicitada, como muitos motoristas imaginam. Afinal, o carro precisará atender a diversos requisitos antes de conseguir a permissão.

Neste post, você descobrirá como conseguir placa preta e entenderá quais são as exigências para ter este item em seu carro antigo. Acompanhe!

Ter mais de 30 anos de fabricação

O primeiro requisito para que um carro receba uma placa preta é sua idade. Para ser elegível, o automóvel deverá ter, pelo menos, 30 anos de fabricação. Isso quer dizer, por exemplo, que apenas veículos fabricados em 1988 têm aptidão para tirar a placa em 2018.

Contar com as características originais preservadas

Quando falamos em carros de coleção, não adianta apenas ter um modelo com décadas de fabricação. O estado de conservação e a originalidade também são essenciais se você quer conseguir uma placa preta.

Como a maioria das peças de veículos antigos não são mais fabricadas, é necessário que, pelo menos, 70% de suas características originais estejam em bom estado de conservação.

Isso quer dizer que o automóvel não pode ter peças de outros veículos e nem ter passado por adaptações ou customizações em sua estrutura. Itens, como rodas, motor e elementos do interior não podem ter sofrido grandes alterações em suas características originais, assim como a pintura e as cores precisam estar dentro do padrão original da época.

Além disso, é essencial que todos os elementos do carro estejam em bom estado — não adiantará nada ter um modelo com peças originais, mas que esteja em péssimo estado. Por isso, o veículo precisa estar limpo, sem sujeiras ou encardidos e sinais de ferrugem.

Fazer parte de uma coleção

Entre as exigências de como conseguir placa preta, integrar um clube de carros antigos é imprescindível. Isso é necessário para que seu veículo faça parte de uma coleção e, assim, seja classificado para receber a placa.

Existem diversos Automóveis Clubes no Brasil, com preços bastante variados, mas é muito importante que você escolha uma entidade credenciada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e filiada à Federação Brasileira dos Veículos Antigos (FBVA).

Obter um Certificado de Originalidade

Por fim, a obtenção de uma placa preta exige que você tenha um Certificado de Originalidade, documento oferecido pelo clube de carros antigos e necessário para registrar um veículo de coleção.

O próprio clube é responsável por fazer uma vistoria do automóvel e verificar se ele está apto para receber o documento, que custa entre R$ 200 e R$ 600.

Se você seguiu todas as orientações acima e seu carro antigo se enquadra, ele está pronto para receber uma placa preta! Para isso, basta providenciar a mudança da categoria junto ao órgão de trânsito.

Depois de conseguir, cuide bem do seu automóvel antigo! Além de passar a contar com um alto valor histórico e de conservação, o carro não precisará mais passar por inspeções obrigatórias e a placa não tem prazo de validade. Por isso, cabe a você conservá-lo e mantê-lo sempre em bom estado.

Agora que já sabe como conseguir placa preta, aproveite para compartilhar o post em suas redes sociais e mostrar para seus amigos como ter um verdadeiro carro de coleção!

youtube-carros-antigos-conheca-os-5-melhores-canais.jpeg

Youtube carros antigos: conheça os 5 melhores canais

Ao pesquisar no Youtube carros antigos, surgem várias opções de vídeos, um mais interessante que o outro. Existem diversos canais especializados nesse segmento e cada um traz uma abordagem própria, destacando itens como beleza, mecânica, customização e desempenho.

Preparamos uma lista com os cinco melhores canais do Youtube voltados para a apreciação de veículos clássicos e famosos dos mais diversos tipos. Continue conosco e confira!

1. Garagem do Bellote

Com cerca de 300 mil inscritos, ao procurar no Youtube carros antigos, você com certeza vai encontrar a Garagem do Bellote. Idealizado e produzido pelo consagrado jornalista automotivo e colunista do portal IG Renato Bellote, o canal garante muito conteúdo, como testes e avaliações a bordo de veículos clássicos, superesportivos, picapes e novos modelos.

Por meio de uma linguagem bem simples, o canal também apresenta uma série de curiosidades sobre os carros e seus fabricantes, compartilhando toda a experiência que Renato acumulou em anos de carreira jornalística. Se você gosta de conhecer a história por trás dos bastidores, esse é o lugar certo.

2. Petrolicious

Um canal que une as palavras “petróleo” e “delícia” em seu nome com toda certeza traz muito conteúdo para os apaixonados por carros antigos. Com quase 700 mil inscritos, o Petrolicious oferece vídeos muito elaborados e que, além de um belo visual, contam com uma sonoridade impressionante.

A variedade de carros que são exibidos e assuntos abordados também é muito grande. Como comprar o carro dos seus sonhos, corridas da década de 60, veículos clássicos como a Lotus Europa 1969 e o Ford GT-40 são apenas alguns dos conteúdos mostrados. Vale a pena passar algum tempo nesse ótimo canal.

3. Carfection

Esse é um canal inglês considerado por muitos apaixonados por carros como sendo um dos melhores do Youtube. São mais de 570 mil inscritos e cerca de 120 milhões de visualizações. Eles são especializados em contar as histórias de diversos modelos, sempre com cenas muito radicais.

Além de exibir uma enorme variedade de veículos — dos clássicos aos exclusivos —, o canal também oferece muito conteúdo interessante sobre os grandes lançamentos esperados, tudo isso com o famoso requinte britânico. Para quem é fã dos superesportivos e ama o som do motor dessas obras de arte, o Carfection é parada obrigatória.

4. Marcelo Tonella

Esse é um dos melhores canais do Youtube para quem gosta de aprender sobre a mecânica dos carros antigos, em especial os da Volkswagen — como Fusca e Kombi. No ar desde 2008 e com quase 350 mil inscritos, Marcelo Tonella — mecânico especializado em motores boxer refrigerados a ar — apresenta dicas de como encontrar um bom carro, restauração, pintura, curiosidades sobre a marca, retífica e muito mais.

Além de tudo isso, o canal conta ainda diversos vídeos mostrando os principais acessórios para esses carros — como volantes clássicos, peças em aço inox e para-choques personalizados. Se você é um apaixonado por carros e motores antigos da Volkswagen, vai ter horas de muito prazer e conhecimento.

5. Viver Carros Antigos

Por fim, temos o Viver Carros Antigos, que, apesar de ter poucos inscritos, garante uma grande variedade de vídeos mais curtos, apresentando modelos como o Ford Willys Furgão e o icônico Volkswagen SP2. O canal também exibe uma série de encontros automotivos que acontecem na região sul do Brasil.

Se você buscou no Youtube carros antigos e ainda não conheceu nenhum desses canais, não perca tempo. Todos eles são excelentes, trazem conteúdos de qualidade e são feitos por quem realmente adora automóveis e entende do assunto. São horas de muita diversão e informação à sua espera!

Gostou de conhecer os melhores canais de Youtube sobre carros antigos e clássicos? Então, siga nossas redes sociais e veja mais conteúdos como este! Estamos no LinkedinFacebook, e Instagram.

 

afinal-o-que-sao-os-hot-rods-e-qual-a-historia-destes-carros.jpeg

Afinal, o que são os Hot Rods e qual a história destes carros?

Há quase 100 anos, surgia o primeiro Hot Rod no mundo: mais que carros, eles demonstram um estilo de vida. É bem provável que você já tenha visto um desses veículos na rua, mas sabe o que eles são, de onde surgiram e, o mais importante, o que significam para os seus donos?

Se você não sabe a resposta para alguma dessas perguntas, continue com a leitura deste post e conheça um pouco sobre esses veículos tão importantes e que vêm marcando gerações!

O que é um Hot Rod e como surgiu?

Se traduzirmos ao pé da letra, Hot Rod significa “biela quente”. O termo é um pouco confuso — e até estranho —, mas traz consigo características muito marcantes. Esses veículos são muito mais que apenas carros, eles são a personificação e individualidade de cada proprietário.

A essência de um Hot Rod é a modificação, ou seja, pegar um veículo que você gosta — normalmente, das décadas de 20 e 30 — e dar o seu toque pessoal, alterando desde a pintura até a mecânica do automóvel. Exatamente por esse motivo, é muito improvável que você encontre dois carros iguais.

Essa cultura começou na Califórnia nos anos 20 e, durante a década de 30, se popularizou muito. Após uma grande depressão no setor automotivo, muitos jovens passaram a modificar seus carros, tornando-os mais modernos e potentes, principalmente devido ao fato de não terem dinheiro para comprar automóveis esportivos.

A modalidade também chegou ao Brasil e, embora a essa cultura não esteja tão disseminada como nos Estados Unidos, ela é bem forte. Um dos melhores construtores brasileiros chama-se Donizete Costalonga que, com seu Black Bird, ganhou vários prêmios. Os carros mais apreciados pelos entusiastas brasileiros são os Opalas e Fuscas, principalmente devido ao baixo custo e mecânica simples.

Quais são os principais estilos de pintura?

Embora esses veículos sejam bem diferentes uns dos outros, podemos notar alguns estilos de pintura, sendo eles:

  • original;
  • fosca;
  • brilhante;
  • flames;
  • scallops;
  • envelhecido.

Muitos proprietários gostam de manter as cores originais dos carros, mas existem aqueles que usam pinturas extremamente brilhantes e bem extravagantes. Versões foscas ou as famosas “flames” — adornadas com chamas — também são bastante apreciadas, especialmente nos carros mais potentes.

A scallop — recortada — é um estilo bem semelhante ao das chamas, contudo os ângulos costumam ser mais retos e com menos cores. A pintura envelhecida também chama muita atenção. Esses carros se assemelham a modelos velhos e mal conservados, mas, mecanicamente, são muito poderosos. Eles têm se popularizado de tal forma que ganharam até um nome próprio — os Rat Rods.

Quais são as características de construção mais marcantes de um Hot Rod?

Quanto às características construtivas, a regra é não existir regra, ou seja, o limite é a imaginação — e dinheiro — dos proprietários. Muitos investem em potentes motores V8 cromados, que ficam expostos. Também a quem adore veículos colados ao chão, com grandes rodas e muito barulho.

Motores a diesel e até mesmo veículos com dois propulsores não são difíceis de encontrar, principalmente na Califórnia. No Brasil, as customizações, geralmente, são mais modestas, mas prezam pela qualidade. Volantes com engate rápido, escapamentos laterais, acessórios cromados e pinturas extravagantes são algumas das alterações mais comuns.

A cultura Hot Rod já se espalhou pelo mundo e, no Brasil, embora ainda seja pequena, tem tudo para crescer. Por esse motivo, muitas empresas passaram a prestar atenção a esse nicho do mercado, desenvolvendo volantes, escapamentos, novos métodos de pintura, entre outros. Essa é uma excelente notícia para os amantes da velocidade e apreciadores da arte da modificação.

Gostou do artigo e ficou interessado em modificar um carro? Então não deixe de ler nosso texto sobre como customizar um Opala de forma adequada!

sera-que-existe-seguro-para-carros-antigos-descubra-aqui.jpeg

Será que existe seguro para carros antigos? Descubra aqui!

Ter um automóvel antigo é maravilhoso e costuma trazer muitas lembranças boas. Porém, eles costumam ser caros para manter e, quando o assunto é seguro para carros antigos, as dúvidas são constantes. As seguradoras fornecem esse serviço? Vale a pena para qualquer veículo?

Preparamos este material para esclarecer as principais dúvidas em relação aos seguros para carros antigos. Vamos explicar como funcionam, quais as vantagens em ter, as maiores diferenças em relação ao serviço tradicional e muito mais!

Como funciona o seguro para carros antigos?

Embora poucas seguradoras estendam seus serviços para veículos com mais de 20 anos e restaurados, existem algumas no mercado. Contudo, a grande maioria oferece apenas cobertura contra roubo e furto, deixando o proprietário desguarnecido em caso de acidentes ou quebras.

Essa modalidade é conhecida como seguro não compreensivo. Para veículos dotados de placa preta, também existe a possibilidade da cobertura em caso de acidentes ou quebras. Contudo, os preços praticados costumam ser bem altos. Em alguns casos, os gastos anuais podem chegar a até 30% sobre o valor do veículo.

Contratar esse serviço é viável?

Por serem mais caros, nem todas as modalidades de seguros são viáveis para determinados modelos de automóveis. Em veículos clássicos e restaurados, que tenham placa preta, ter uma proteção completa é uma boa ideia, principalmente para quem costuma levar o carro a exposições em outras cidades — o que aumenta os riscos de avarias.

Porém, para veículos mais antigos que não tenham tanto valor de mercado, o seguro não compreensivo é uma opção mais atrativa. A manutenção desses automóveis não costuma ser tão cara e ainda existe oferta de peças. Os riscos para esses carros são justamente os roubos, que são cobertos por essa modalidade.

Quais são as vantagens em ter um seguro para carros antigos?

Como você percebeu, contratar um seguro para carros antigos é uma boa opção, desde que a escolha da modalidade seja a correta. Além dos benefícios mencionados, existem outros muitos importantes, desde assistência 24 horas até a procura por peças originais — que quase sempre é uma tarefa complicada.

Reposição de peças originais e cobertura contra acidentes

Quanto mais raro o automóvel, maior é a dificuldade em encontrar peças originais. Até mesmo um pneu rasgado pode se tornar um pesadelo. Uma das vantagens de ter um seguro completo para carro antigo é que, quando necessário, a seguradora é que ficará responsável por essa tarefa.

Acidentes também são um pesadelo, principalmente no caso de veículos mais famosos e clássicos. Uma simples roda amassada em um Ford GT40, por exemplo, pode custar muito dinheiro. Já parou para pensar quanto custa uma lanterna traseira original para o seu carro? E se houver uma pequena colisão e ela trincar?

Cobertura contra perda total e assistência 24 horas

Se uma simples lanterna trincada pode levar a muita dor de cabeça, a perda total de um veículo clássico é um pesadelo para qualquer proprietário. Muitos desses automóveis trazem valores acima de 2 dígitos e, mais que um carro, são um patrimônio da família.

Porém, as modalidades mais simples também trazem vantagens. Uma delas é a assistência 24 horas. Por mais que um veículo esteja em condições impecáveis, pode acontecer algum imprevisto que faça necessário o uso de um guincho e, dependendo de quando e onde isso ocorrer, contar com esse serviço à disposição não é uma má ideia.

Como você viu, o seguro para carros mais antigos não é igual ao de veículos tradicionais. Eles são mais caros, não são amplamente oferecidos e, antes de contratar um, é preciso analisar muito bem se é viável. Pesquise entre as seguradoras e contrate aquela que atenda as suas reais necessidades.

As informações apresentadas sobre seguro para carros antigos foram úteis? Então, curta agora mesmo nossa página no Facebook e veja outros conteúdos interessantes!

confira-5-maiores-fabricantes-de-pecas-para-carros-antigos.jpeg

Confira 5 maiores fabricantes de peças para carros antigos

Se você pretende restaurar ou customizar um veículo clássico, dependendo do modelo, existem muitas opções de componentes disponíveis na internet. Porém, para não prejudicar o desempenho e desvalorizá-los, é preciso procurar por peças para carros antigos que tenham qualidade superior.

Por isso, preparamos uma lista com os 5 melhores fabricantes nacionais de peças para veículos antigos. Continue a leitura e saiba o que faz deles os mais indicados!

1. ODG Instrumentos

O Mercado Livre é um dos sites mais famosos para quem busca peças para automóveis antigos e, sabendo procurar, você consegue achar componentes com boa qualidade. Tanto para veículos customizados quanto restaurados, a atenção aos detalhes é primordial.

Com mais de 16 anos de experiência no mercado, a ODG é uma das maiores fabricantes de instrumentos do Brasil e tem muita atenção aos detalhes — o que garante excelente qualidade em seus produtos, sejam eles destinados a veículos clássicos, antigos ou de alto desempenho. Além disso, conta com uma ampla gama de produtos, desde chicotes de instalação até painéis completos.

2. Antigos e 4×4

Outro excelente fabricante de peças para automóveis antigos e customizados é a Antigos e 4×4. Essa empresa é especializada na fabricação de tanques de combustível em inox, que são muito bons em relação à corrosão e ainda melhoram a aparência do veículo, especialmente quando esse componente fica à mostra.

Eles também comercializam tanques em plástico e outros itens — como capotas, bancos, para-choques e volantes. Como se não fosse suficiente, tudo isso é encontrado no site da Antigos e 4×4, e você pode adquirir produtos de qualidade com o menor preço, segurança e sem sair de casa.

3. RagTop

Em um país predominantemente quente como o Brasil, um teto solar é muito bem-vindo! E quando instalado em um veículo antigo, além de trazer um belo visual, agrega bastante ao valor do carro. Porém, é preciso que ele seja de qualidade, afinal, ninguém quer cheiro de mofo ou vazamentos.

A RagTop é a mais conceituada fabricante e instaladora de tetos solares para veículos antigos do mundo. A qualidade do produto é tamanha que a sua garantia é permanente, ou seja, se houver qualquer problema, eles têm uma equipe altamente treinada para resolver, e sem custos.

4. Donizete Costalonga

Essa é uma pequena empresa para quem adora a arte das customizações, principalmente os Hot Rods. Donizete Costalonga é o melhor construtor desse tipo de veículo do país. Ganhador de diversos prêmios, ele também fabrica peças sobre encomenda, como suspensões, carrocerias, acabamentos, entre outros.

Para que você tenha uma ideia, é possível encomendar uma réplica extremamente fiel do aclamado Corvete 1958 — um dos carros mais apreciados pelos amantes da velocidade. Com centenas de veículos produzidos e muita experiência, nenhum projeto é impossível para Donizete Costalonga.

5. Lotse volantes

A Lotse é outra empresa que merece destaque pela qualidade superior de seus produtos. Especializada na fabricação de volantes, ela conta com uma linha muito variada, além de trazer versões voltadas aos veículos clássicos. Existem desde os modelos mais tradicionais — trabalhados em madeira — até os esportivos, com um design sofisticado, mas sem perder a essência de um automóvel antigo.

Todas as empresas mencionadas têm como foco principal a qualidade de seus produtos. Por esse motivo, ao buscar por peças para carros antigos, faça delas a sua primeira opção. Afinal, todo apaixonado sempre quer o melhor para o seu carro, e somente os impecáveis se destacam.

Gostou de conhecer os melhores fabricantes de peças para veículos antigos? Então, acesse o site da Lotse e conheça um pouco mais sobre nossa empresa e produtos!